Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Avaliação Individual da Acção nº6

“As escolas deveriam munir-se de recursos que permitissem uma formação sustentada a todos os alunos incluindo aqueles que têm nee.”

Francisco F. Lemos, 1999

 

Permitam-me que declare desde já a minha pouca experiência profissional na área da Educação Especial. Assim sendo, e no que toca à análise (baseada em conhecimentos teóricos) do bom documento que nos foi enviado – “A Integração dos deficientes na Vida Activa: Problematizando, Projectando, Áreas Vocacionais, Formação e Reflectindo” – opino ser importante referir que o mesmo apresenta diversas e consistentes alternativas para a resolução da problemática em questão: a inserção de pessoas portadoras de deficiência na vida activa da sociedade. O mesmo, refere ainda as dificuldades que se encontrarão ao longo deste caminho traçado que, felizmente, começámos já a pisar.

Torna-se então imperativo que as escolas estejam munidas de recursos (a todos os níveis!) que permitam a formação adequada e fundamentada dos alunos. Não sendo isto o bastante, é necessário, como base e ponto de partida que, acima de tudo, se mudem atitudes e mentalidades, no caso concreto da aceitação em sociedade da pessoa portadora de deficiência.

Permitam-me que utilize uma expressão corrente: o facto das escolas estarem munidas de todos os recursos que permitam uma formação sustentada da totalidade dos seus alunos, é somente “a ponta do iceberg” num oceano que se pretende, seja a inclusão. Esta deve sair do papel e tornar-se uma realidade palpável. Se assim acontecer, poderemos contar de forma activa com as pessoas portadoras de deficiência numa sociedade que é “nossa”, ou seja, de todos, sem excepção.

E ainda assim, se isso acontecesse, será que os deixaríamos de olhar como ainda os olhamos?!

 

Autoria: Sara Isabel Mota (Técnica Superior de Educação)

Data: Abril 2007