Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Avaliação Final da Acção - PCT vs Adapatações Curriculares

Achei por bem ao fazer esta avaliação, remetê-la ao universo educativo da escola onde estou inserida e as medidas onde o Projecto Curricular foi inserido. A partir da opção central do projecto educativo, alicerce fundamental para o projecto curricular de escola e para os projectos curriculares de turma, estabeleceram-se as grandes opções. Nas áreas prioritárias de actuação, em resultado das problemáticas diagnosticadas. É dentro de um quadro de referências onde estão estatutariamente definidos os objectivos que esta escola prossegue a sua acção e que são:

-Apoiar as famílias, mediante a promoção de acções de natureza sócio culturais, especialmente as mais jovens e de menores recursos.

-Participar na resolução das questões sociais, educativas, de saúde e culturais da população, especialmente das crianças, dos deficientes, dos jovens e dos idosos.

-Promover acções conducentes a participar no desenvolvimento integrado da comunidade, com especial atenção aos mais carenciados e socialmente desfavorecidos.

-Contribuir, mediante estudos e acções, para a investigação das metodologias e dos critérios de decisão adequados a suscitar um desenvolvimento harmonioso das pessoas e comunidade local.

-Colaborar, com os demais organismos, públicos e privados, na resolução de problemas, que pela sua natureza estrutural, ao nível da região, interfiram, directa e indirectamente, com fins prosseguidos pela Instituição.

-Actuar, aos níveis regional, nacional e internacional, no sentido de reforçar o papel e a actuação das pessoas e Instituições que desenvolvem a sua actividade prioritariamente, nos domínios social e cultural.

E ainda:

-Reconhecer respeitar e valorizar a singularidade de cada indivíduo – criança ou jovem;

-Desenvolver nas crianças e nos jovens capacidades de autonomia com vista à adequada inserção na sociedade;

-Assegurar a aprendizagem de saberes em conformidade com as características individuais das crianças, dos jovens adequando-os aos seus contextos sócio – culturais;

-Fomentar a participação criativa e inovadora das crianças e dos jovens no acto educativo;

-Desenvolver o respeito pela Natureza;

-Desenvolver o espírito de aventura e de descoberta do mundo;

-Desenvolver o espírito crítico.

A construção de um projecto curricular não se faz no vazio, muito menos em determinadas escolas. Quando um problema é encarado como carecendo de ter uma resposta, desencadeiam-se processos de diagnóstico das necessidades tendo em vista configurar a acção que o deverá solucionar.  As opções tácticas implicam na sua concretização outras estruturas educativas, tais como: os conselhos de turma, os directores de turma, os coordenadores dos directores de turma, as equipas de ensino especial, os coordenadores e dinamizadores dos clubes e ateliers e actividades de complemento curricular, o coordenado de projectos e a associação de pais, os auxiliares de acção educativa e demais agentes educativos.

 

Autoria: Joaquina Jacinto (Professora)

Data: Novembro 2007