Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Avaliação Final da Acção - Equoterapia

“O cavalo é um animal que graças à sua cordialidade milenar pressupõe valências jamais discriminatórias e até terapêuticas”.

(Ana Marques Afonso 2005)

 

As crianças portadoras de perturbações do desenvolvimento são muitas vezes magoadas pela sociedade que a circunda, com olhares de diferença, com comportamentos de rejeição e outro tipo de acções que fazem com que estas crianças se sintam deslocadas num mundo no qual elas não escolheram viver. Infelizmente a discriminação pela diferença ainda é uma realidade entre seres humanos.

Os animais têm uma capacidade relacional desinteressada e não discriminatória no que toca à diferença, por isso, os portadores de perturbações do desenvolvimento se sentem ajustados e compreendidos quando interagem com os mesmos. Quando estas crianças estão em contacto com o cavalo, sentem-se como um prolongamento do corpo do animal e não como um corpo solto do mesmo. Existe uma simbiose não só ao nível corporal, mas também ao nível relacional e terapêutico. São amigos e parceiros num mundo sem desigualdade, em que a disfunção da criança desaparece na compensação funcional do movimento e relação estabelecida com o animal.

Embora o homem se considere o único animal racional, e com isso, relacional, é nos animais que encontramos a cordialidade e sentimento de igualdade na forma mais pura, que faz com que os desiguais sejam entendidos como especiais elevados ao mesmo nível hierárquico na relação social.

 

Alexandra Alvernaz (Psicóloga)