Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Avaliação da acção - Inclusão de alunos com nee

A Escola Inclusiva caracteriza-se por recusar tanto a homogeneização das práticas educativas dos professores como a aceitação implícita da existência de um aluno-ideal capaz de ser entendido como uma espécie de medida-padrão, a partir da qual se organiza e promove a diferenciação entre alunos. Neste tipo de escola, onde se deverá processar uma educação para todos, a actuação do professor, na sala de aula, tem de ser reestruturada em função da heterogeneidade do grupo turma, no que diz respeito aos saberes já adquiridos pelos alunos, às suas vivências, necessidades, interesses, saberes, dificuldades, numa perspectiva de pedagogia diferenciada em relação ao mesmo grupo e no mesmo espaço. O professor tem de reconhecer que o aluno tem características muito particulares e que no grupo turma, devido às diferenças existentes no seu seio, é necessário que não se ensine todos, como se de um só se tratasse e que se criem condições propícias para um ensino individualizado onde se promova a inclusão. Acresce referir que o contacto e o convívio entre alunos com e sem dificuldades ou com e sem deficiências, favorece a normalização de comportamentos. As relações que se estabelecem são uma excelente oportunidade para criação de laços de vinculação e de relações afectivas. Estas relações interpessoais podem vir a tornar-se um suporte emocional muito importante no desenvolvimento de crianças com necessidades educativas especiais e os alunos, ditos “normais”, poderão desenvolver uma maior capacidade afectiva e de aceitação das diferenças individuais.    A escola actual tem, por conseguinte, a obrigatoriedade de encontrar formas de responder às necessidades educativas de uma população escolar cada vez mais heterogénea, de construir uma Escola Inclusiva, uma escola que aceite todos, independentemente das suas diferenças, e trate todos de forma diferenciada, respeitando a individualidade de cada um dos alunos.  

Ana Galveia (Professora)