Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Avaliação da acção - Inclusão de alunos com nee

A escola regular é o lugar certo para todos poderem aprender. Nem sempre da mesma forma, nem sempre as mesmas coisas, nem sempre ao mesmo ritmo, mas aprender.

As orientações curriculares para a educação pré-escolar (1997) referem a escola inclusiva, o que implica planificação de estratégias diversificadas no âmbito da pedagogia diferenciada para o grupo, pois cada ser é único, sendo a diferença um valor e não um factor de discriminação, se pensarmos que a diferença é sinónimo de identidade de cada um de nós, numa sociedade que apela a um conceito normativo de Igualdade precisamente porque somos diferentes.

Pensar na diferença é aceitar o outro incondicionalmente com atitudes menos discriminatórias e de maior tolerância e compreensão.

A lei aprovada em Janeiro deste ano põe fim ao encaminhamento de alunos com dificuldades de aprendizagem e outras limitações para escolas de educação especial e introduz um novo modelo para identificar as crianças com NEE, a CIF (Classificação Internacional da Funcionalidade, Incapacidade e Saúde).

Para que a inclusão resulte é necessária a existência de uma filosofia clara, com envolvimento escolar, fortes suportes sejam eles profissionais, parentais ou administrativos e implica por parte dos professores uma preparação e planificação.

Nas características específicas de escolas inclusivas, deve-se fazer apelo à diversidade e não à homogeneidade

A cooperação entre professores é um dos pilares da inclusão, pois uma escola inclusiva é aquela em que todos os mestres se comprometem: “Todos os alunos são de todos os professores”.

Joana Pinto (Educadora de Infância)