Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Avaliação da acção "TAA"

"O contacto com os animais acalmam e descontraem a nossa mente."

(Luís Miguel Rosa 1995)

 

         Desde a infância que os animais fazem parte do nosso imaginário. Através de pequenas histórias, que ouvimos dos nossos avós, pais, professores e familiares, vamos adquirindo valores, reconhecendo sentimentos e encarando a vida. Aprendemos o certo e o errado projectando sentimentos e emoções nos animais e restantes seres vivos. Quem não se lembra de pensar que a flor murcha quando está triste e que o coelhinho (bebé) fica triste quando se perde da mãe.

         Também vamos aprendendo a lidar com os afectos com os animais, pois estes possuem a capacidade de dar afecto, incondicionalmente, sem darmos nada em troca. Quantas vezes já observamos pessoas que maltratam os seus animais, mas ainda assim estes animais adoram os seus donos.

         Aprendemos com os animais a proteger, a dar, a sentir e os animais têm uma capacidade incrível de nos fazer sorrir. Quantos dias, chegamos mal-humorados a casa e subitamente alguém aparece muito feliz por nos encontrar.

         Está provado que a companhia dos animais pode ajudar crianças e adultos a serem mais felizes e sobretudo apoiar crianças com necessidades especiais. Os animais conseguem captar as diferenças e tratar e ajudar o melhor que podem todas as crianças sejam elas saudáveis ou não. Se repararmos o fantástico trabalho que têm vindo a desenvolver com crianças autistas e com paralisia cerebral, temos um bom exemplo. Outro aspecto importante da sua presença na nossa vida é o papal que assumem como ouvintes e confidentes. Para além de nos acalmarem com a sua presença e com a sua aceitação incondicional, não privilegiando estatutos ou capacidade económica.

         Para finalizar gostaria ainda realçar que os animais com a sua escuta activa e disponibilidade absorvem os nossos pensamentos mais negativos e asseguram a sua presença de apoio e carinho. Em casos mais específicos procuram ajudar o mais necessitados a desenvolver as suas necessidades, sejam elas físicas e/ou psicológicas.

         Nunca nos devemos esquecer que os animais são “nossos” amigos e por isso o mínimo que temos de fazer é respeitá-los bem como respeitar o seu habitat natural.

Ana Isabel Oliveira (Psicóloga)