Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Avaliação da acção - Logopedia, Fonoaudiologia e Terapia da Fala

O trabalho do logopeda, fonoaudiólogo ou terapeuta da fala é fundamental para o sucesso educativo da criança que apresenta disfunções da comunicação, nomeadamente, ao nível da articulação, da fluência e da linguagem. 

Recordo-me de uma experiência bastante enriquecedora em termos profissionais que vive com uma turma de 1.º ciclo (a qual incluía alunos de todos os anos de escolaridade) e com uma turma do ensino Pré-Escolar. Esta última incluía uma menina, que aqui passarei a chamar de Maria, com grandes lacunas ao nível da comunicação. De acordo com as informações que constavam no seu processo, a Maria teria nascido com um problema auditivo, tardiamente diagnosticado, e só foi submetida, com sucesso, a uma intervenção cirúrgica quando estava prestes a completar o seu quinto aniversário. Desde essa altura, a Maria começou a ouvir e a ser acompanhada, semanalmente, por uma terapeuta da fala.

Esta criança frequentava o Jardim-de-Infância desde os quatro anos de idade, mas até à data em que a conheci, último ano da sua frequência no Jardim, a sua interacção com as pessoas era bastante difícil, visto que a Maria usava apenas os gestos e uma série de sons vocálicos para comunicar. A turma onde estava inserida era bastante reduzida, assim como a turma que eu leccionava. Ambas funcionavam no mesmo edifício escolar, o que me permitiu desenvolver um projecto de articulação curricular com a colega do Jardim-de-Infância e ter um contacto directo e permanente com a Maria.

Sempre que planificávamos o nosso trabalho, tínhamos como uma das principais preocupações, encontrar estratégias de interacção comunicativa que permitissem ajudar a Maria a ultrapassar as suas lacunas, que reforçassem a sua auto-estima e contribuíssem para o seu desenvolvimento pessoal. Neste trabalho tínhamos a colaboração da terapeuta da fala que acompanhava a Maria. Esta técnica tinha criado um dossiê de trabalho para a aluna que fazia a ponte entre a escola e o gabinete onde recebia a criança todas as semanas. Nele constavam orientações de trabalho e material para trabalhar com a aluna na escola. Em todas as actividades que desenvolvíamos em conjunto, utilizávamos essas sugestões de trabalho não só com a Maria mas também com outros alunos do 1.º ciclo que apresentavam algumas dificuldades ao nível da comunicação, nomeadamente ao nível da articulação e da voz. Considero que a colaboração entre a terapeuta da fala, educadora e professora foi essencial para o desenvolvimento da Maria, assim como de todo os seus colegas que também aprenderam técnicas não só para com ela comunicarem, mas também para enriquecerem a sua própria comunicação.

Cristina Ribeiro