Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Avaliação da acção - Formação Pessoal e Transição para a Vida Activa

“As escolas deveriam munir-se de recursos que permitissem uma formação sustentada a todos os alunos incluindo aqueles que têm nee.”

(Francisco F. Lemos 1999)

 

Considero que estamos longe do “cenário” descrito na afirmação de Francisco Lemos. De facto, o sistema educativo deveria englobar todo o tipo de ensino e dotar as escolas com os equipamentos necessários a uma formação eficiente e efectiva de todos os alunos, nomeadamente os que têm NEE. Não basta chegar ao 7º ano de escolaridade ou equivalente e elaborar-se um PIT (Plano Individual de Transição), focando parcerias, objectivos, etc, quando na prática após conclusão do 9º ano ou equivalente os alunos não estão preparados para enfrentar um mercado de trabalho, sendo muitas vezes encaminhados para um CEF, que pouco ou nada tem a ver com os conteúdos que foram trabalhados até então. Não basta recorrermos à papelaria da escola, a cantina, ao bar. É bonito vermos os alunos integrados na estrutura escolar, mas é isso que vão fazer no futuro? Ou apenas estamos a dar resposta à legislação que obriga a pensar e concretizar uma saída pós-escola?

Admito que seja ainda um processo muito complicado, principalmente porque a escola ainda incide mais a sua acção nos alunos que seguem a vertente escolar normal e prosseguem estudos para o ensino superior, ou para uma formação profissional. Mais uma vez os alunos com NEE, sendo a excepção, são aqueles que mais sofrem. No entanto, ao ritmo que as referenciações são feitas para incluir cada vez mais alunos no Dec-Lei nº3/2008 (Educação Especial), qualquer dia a minoria irão ser justamente os que hoje são considerados normais, e talvez nesse dia tenhamos as respostas que hoje já se impõem.

 

Fátima Santos