Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Centro Recursos e Formação - Associação Portuguesa de Investigação Educacional

Sempre no sentido do esclarecimento, da partilha e da formação.

Informação do Centro de Recursos e de Formação da apie

O Centro de Recursos e de Formação da Associação Portuguesa de Investigação Educacional vem por este meio divulgar 2 novas acções de formação/sensibilização (gratuítas) on-line que terão inicio em Janeiro de 2007:

Acção nº 2:

A Deficiência Mental "Niveis e Tipos"

Acção nº3:

Projecto Curricular de Turma vs Adaptações Curriculares

Para mais informações consulte o programa das acções em baixo.

Contacto:

edif@sapo.pt

Participem e divulguem!

Divulgação de Acção de Formação/Sensibilização (gratuíta)

Acção de Formação/Sensibilização nº3

 

Designação

 

Projecto Curricular de Turma versus Adaptações Curriculares 

Destinatários

 

Esta acção de Formação/Sensibilização destina-se a Professores e a Educadores.

 

Apresentação

 

Todas as crianças com NEE’s “têm direito à educação pública gratuita, a qual se deve revelar adequada às suas necessidades educativas e deve ter lugar no meio menos restritivo possível” (Nielsen, 1999:15).

São inúmeras as instituições governamentais que manifestam preocupação com as crianças portadoras de NEE’s, independentemente do maior ou menor grau de severidade que estas apresentam. Desta forma, desde crianças com graves deficiências até às crianças com dificuldades de aprendizagem, todas são actualmente incluídas no ensino regular cabendo ao professor de cada turma responder a essas mesmas crianças e às suas necessidades específicas.

Apesar de existir um serviço de educação especial, que paralelamente trabalha com o ensino regular, é imprescindível que o professor titular de turma adeqúe as suas práticas à realidade da turma que lhe é atribuída. É na sequência desta premissa que o professor ao definir as orientações gerais do seu PCT tem de, à partida, definir estratégias e metodologias de trabalho que contribuam quer para a inclusão quer para o sucesso educativo da turma na sua totalidade e não na particularidade de alguns alunos em detrimento de outros que pelas suas características são excluídos das aprendizagens.

 

 

 

 1ªPARTE

 

Módulo I – Introdução:

- Introdução;

- Adaptações Curriculares;

- Conceito;

- Currículo regular e currículo especial.

Módulo II – Adaptações Curriculares:

- Âmbito e tipo de adaptações curriculares;

- Organização do processo de ensino/aprendizagem;

- Legislação e adaptações curriculares.

Módulo III Projecto curricular de Turma:

- Introdução;

- Caracterização da Turma;

- Desenvolvimento da Acção Educativa;

- Formas e estratégias de avaliação;

- Cooperação com a comunidade educativa.

Módulo IV – Avaliação:

- Elaboração de um pequeno comentário acerca de uma temática sugerida.

2ª PARTE

Módulo V O PCT e as adaptações curriculares:

- O Projecto Curricular de Turma e o seu enquadramento no Sistema Educativo Nacional e no Processo de Ensino – Aprendizagem;

- Da necessidade de compreensão dos conceitos à formalização do PCT;

- O PCT e as competências;

- O PCT e a diferenciação pedagógica;

- O PCT e a adequação curricular;

- O PCT e a gestão flexível;

- O PCT e as áreas curriculares disciplinares e não disciplinares;

- Possíveis materiais a integrar no PCT;

- Casos específicos.

Módulo VI – Considerações Finais:

- Considerações Finais;

- Conclusão;

- Referências Bibliográficas.

Módulo VII – Anexos:

- 12 anexos de documentos a utilizar no processo ensino-aprendizagem (53 páginas).

Módulo VIII – PowerPoint Resumo:

- PowerPoint resumo intitulado: O PCT versus Adaptações Curriculares.

Módulo IX –PowerPoint

- PowerPoint intitulado: Adaptações Curriculares.

Corpo Docente

 

- Alda Correia (Professora);

- António Araújo (Professor);

- Arsénio Lopes (Professor);

- José Santos (Professor);

- Marisa Brito (Psicóloga);

- Marta Braga (Educadora).


Inicio e Duração

 

A Acção de Formação/Sensibilização decorrerá no mês de Janeiro.

Inscrição

 

Para se inscrever na Acção de Formação/Sensibilização, basta enviar para edif@sapo.pt os seguintes elementos:

 

-Nome Completo;

-Zona de Residência;

-Endereço Electrónico;

-Profissão.

 

Informações

 

Para mais informações contacte a Associação Portuguesa de Investigação Educacional para:

 

edif@sapo.pt

Divulgação de Acção de Formação/Sensibilização (gratuíta)

Acção de Formação/Sensibilização nº2

 

Designação

 

A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”

 

Destinatários

 

Esta acção de Formação/Sensibilização destina-se a Professores, Educadores, Psicólogos, Técnicos de Educação Especial, Encarregados de Educação, Terapeutas, Estudantes, Auxiliares da Acção Educativa e Comunidade em geral.

 

Apresentação

 

A escola do ensino regular abarca uma diversidade de alunos que devido às suas características heterogéneas dificultam o, já por si, difícil processo de ensino/aprendizagem. Não obstante, a diferenciação pedagógica a par da individualidade que tem o Projecto Curricular de Turma, assim se pretende, deverão constituir-se como factores facilitadores quer do processo de ensino/aprendizagem, quer da integração e, consequentemente, da inclusão da criança diferente.

 

Numa altura em que, cada vez mais, se fala em escola inclusiva, é imperioso que esta instituição, na pessoa do professor e dos demais funcionários, esteja preparada para trabalhar com a diversidade de alunos que a frequentam. É necessária uma mudança ao nível de mentalidades no que concerne à comunidade escolar mas também à comunidade em geral. Como tal, é fundamental que se aposte na formação dos professores e dos demais funcionários/técnicos que participam no processo educativo da criança/jovem, especialmente quando se trata de crianças com Necessidades Educativas Especiais (NEE).

 

Dentro do grupo de alunos com NEE incluem-se os alunos com deficiência mental, aos quais nos reportaremos ao longo da acção. Estas crianças apresentam determinadas características e, na maioria das vezes, dificuldades cognitivas que influenciam e, ao mesmo tempo, podem prejudicar a sua aprendizagem. Para além destas dificuldades estes alunos poderão apresentar problemas ao nível da autonomia pessoal e social, comunicação, relações sócio-afectivas, entre outros. Ao longo da acção, acerca desta problemática, que nos propusemos fazer, iremos não só especificar algumas dessas características e dificuldades mas também tentar apresentar algumas estratégias de actuação, que se devidamente adequadas, poderão ser um contributo para melhorar o trabalho com estas crianças e ajudar o professor na sua prática pedagógica.

 

Programa da Acção

 

 1ªPARTE

 

Módulo I – Exploração de conceitos

 

- Introdução;

- Deficiência Mental;

- Inteligência;

- Quociente de Inteligência.

Módulo II – Níveis e tipos

- Caracterização dos vários níveis de deficiência mental;

- Características evolutivas do deficiente mental.

Módulo III – Avaliação

- Avaliação da acção.

2ª PARTE

Módulo IV – O papel do professor/educador no desenvolvimento de programas para crianças deficientes mentais

- Etapas educativas;

- Diagnóstico e sistemas de apoio;

- Intervenção pedagógica.

Módulo V – Considerações finais

- Considerações finais;

- Sugestões bibliográficas.

Módulo VI – Compilação de textos

- Compilação de textos (101 páginas) acerca da temática - deficiência mental – em vários âmbitos, como: sexualidade, carta de direitos, escola, família, entre outros.

Módulo VII – PowerPoint

- PowerPoint resumo intitulado - A deficiência mental “Níveis e tipos”.

Corpo Docente

 

- Alfredo António (Psicólogo);

- António Araújo (Professor);

- José Santos (Professor);

- Marisa Brito (Psicóloga);

- Marta Braga (Educadora);

 

Parceria

 

Esta acção é da responsabilidade da Associação Portuguesa de Investigação Educacional e resulta de mais uma parceria com o CECOM – Centro de Estudos e Competências Mundiais.


Inicio e Duração

 

A Acção de Formação/Sensibilização decorrerá no mês de Janeiro.

Inscrição

 

Para se inscrever na Acção de Formação/Sensibilização, basta enviar para edif@sapo.pt os seguintes elementos:

 

-Nome Completo;

-Zona de Residência;

-Endereço Electrónico;

-Profissão.

 

Informações

 

Para mais informações contacte a Associação Portuguesa de Investigação Educacional para:

 

edif@sapo.pt


Avaliação Final da Acção - Multideficiência no Contexto Educativo

A acção – Multideficiência no Contexto Educativo – realizada entre Outubro e Novembro de 2006 pela apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional, através da cerfapie - Centro de Recursos e de Formação da apie teve 23 inscritos.

Desde professores, educadores, psicólogos, estudantes e outros técnicos ligados à educação.

Porém, apenas 11 concluíram a acção, isto porque a apie considerou o término da mesma com a realização da avaliação individual da mesma. Esta consistia numa pequena reflexão acerca da temática em causa. Infelizmente, a maioria dos formandos não aderiu a esta iniciativa – embora a apie tenha efectuado vários contactos no sentido de solucionar o problema. Muitos dos colegas inscritos na acção nem se dignaram a responder. Acabaram por receber os módulos da acção e guardaram-nos para si.

De qualquer maneira, ainda bem que isto aconteceu, ainda bem que conseguimos chegar a tantos técnicos espalhados de norte a sul do país.

De uma forma geral, e mesmo assim, o balanço que fazemos é positivo e iremos continuar.

A apie